quero publicar

oportunidades de publicação, pesquisa, cursos e eventos

A Construção Social do Ódio
+ Fluxo Contínuo

Chamada de Artigos (Temáticas, n. 54, 2º semestre de 2019)

Organizadoras: Camila de Lima Vedovello (Unicamp); Fabiane Cristina Albuquerque (Unicamp); e Thayná Jesuina França Yaredy (UFABC).

***
A revista Temáticas comunica que está aberta, de 17 de janeiro a 15 de maio de 2019, a chamada de artigos para o dossiê “A Construção Social do Ódio”.
***

A construção social de monstros e bandidos, como uma antítese ao que é humano, de bem, atravessam a constituição dos estados. O mundo colonial já contava com um caráter maniqueísta e totalitário, onde o colonizado era estabelecido como maléfico, desumanizado sendo que, a construção da desumanização, traz a separação como algo natural, estigmatiza e endereça somente aos nossos a possibilidade de ser visto como um ser humano ou vidas dignas de luto. É a produção de uma classe de indesejáveis que tornará possível redirecionar uma parcela da sociedade ao lugar da banalidade da violência e da morte a grupos desumanizados e considerados inferiores.
Há um rancor, nas sociedades contemporâneas, quando a rivalidade entre os trabalhadores no neoliberalismo faz sentir seus efeitos na vida cotidiana através de uma crescente competição. Significativas mudanças estruturais no mundo do trabalho, com arranjos de empregos flexíveis, criam uma grande insatisfação trabalhista, gerando competição entre os trabalhadores, que começam a depreciar seus concorrentes, emergindo – pela concorrência acentuada – o racismo, sexismo, machismo, xenofobia. Sentimentos que são cooptados por políticos e figuras como Donald Trump, nos EUA, Le Penn na França, Lega Nord na Itália e Jair Bolsonaro no Brasil, através de promessas de restituição de ordem e progresso e da exaltação do homem de bem, do trabalhador em detrimento dos outros.
Diante de um cenário de desmonte das condições sociais de vida, de uma concepção de Estado mínimo e de uma política neoliberal, o discurso securitário ganha força e visibilidade, gerando uma guinada das sociedades, com avanço de repressão e punição, por parte do estado, ligado à difusão do projeto ideológico do neoliberalismo, ausentando o próprio estado de questões importantes, ligadas ao bem-estar social.
A opinião pública vê a severidade penal como algo positivo e, ao mesmo tempo, vê algumas ilegalidades com maior indignação em detrimento de outras, principalmente as relacionadas às populações deserdadas e desamparadas, ou melhor, algumas categorias-detritos que foram construídas justamente para aguçar esse olhar e esse sentimento de indignação, servindo de catalisadores dos problemas sociais.
Dentre as políticas construídas a partir do ódio sobre grupos populacionais, em uma concepção neoliberal de competitividade extremada, podemos elencar o encarceramento em massa; as leis atuais contra os imigrantes em países centrais; as políticas de extermínio pautadas por uma necropolítica; assim como técnicas militares outrora utilizadas nas colônias que criam hoje um novo urbanismo militar, organizando esse encarceramento em massa, a tortura e outros elementos que estão inseridos nas políticas de ódio.
A partir das questões colocadas, as organizadoras do dossiê convidam toda a comunidade acadêmica a contribuir com artigos que reflitam sobre a construção social do ódio. Consideramos pertinentes textos que pautem as políticas de estado, assim como as capilaridades do ódio nas relações sociais. Nos interessa, portanto, estudos teóricos, assim como resultados de pesquisas empíricas, análises de dados e resenhas de obras que versem sobre formas de segregação, confinamento e extermínio contemporâneas, sejam elas políticas estatais como reflexos do neoliberalismo na vida social, ou ainda que traga outras possíveis causas da construção do ódio que desencadeia um modelo de governança baseado na segregação, confinamento e extermínio de grupos e\ou populações.
***

Os artigos completos devem ser submetidos exclusivamente por meio de nossa plataforma OJS.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: