quero publicar

oportunidades de publicação, pesquisa, cursos e eventos

Um mosaico abrangente da atual produção cultural feminista que reflete a complexa experiência de ser mulher

O projeto De|Generadas completa 5 anos e propõe colocar os diversos feminismos em diálogo através de palestras, bate-papos, debates, encontros festivos, exibições de filmes, intervenções e exposições de arte, performances e outras apresentações artísticas.

A mostra oferece um mosaico abrangente e diversificado da produção cultural, intelectual e artística feminista, refletindo a complexa experiência de ser mulher nesse mundo.

Do evento, destacamos pra vocês duas rodas de conversa propostas e mediadas por Suelaine Carneiro e Maria Sylvia Oliveira.

Dia 07/09 – 16h – Mulheres que Cuidam e Protegem Mulheres: a atividade trará as ações desenvolvidas no projeto Promotoras Legais Populares-PLPs, que capacita mulheres em direitos humanos das mulheres e em sobre as diversas violências que acometem as mulheres. Destacará o aplicativo Juntas – um app que auxilia mulheres em situação de violência e conecta mulheres à uma rede de confiança e de proteção. A atividade contará com a participação de uma PLP, que trará sua experiência no atendimento à mulheres vítimas de violências, além de orientação para utilização do app.

Dia 21/09 – 16h – Feminismo Negro: a partir da atuação feminista e antirracista de Geledés Instituto da Mulher Negra, a atividade apresentará as ações realizadas em defesa dos direitos das mulheres e mulheres negras em particular, o necessário diálogo intergeracional e o protagonismo das jovens feministas negras e os desafios para a garantia dos direitos das mulheres e avanço de suas agendas. A atividade contará com a participação de uma jovem feminista, que fará a leitura de trechos de poesias, músicas e/ou textos sobre as mulheres negras.

as incrições são gratuitas, e podem ser feitas aqui.

Geledés Instituto da Mulher Negra foi fundado em 30 de abril de 1988. É uma organização da sociedade civil que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que esses dois segmentos sociais padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigentes na sociedade brasileira.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: